O Esporte como Oportunidade de Autossuperação

Laura Cardone
Laura Cardone

Mais do que as vitórias como atleta, Laura Cardone (com 20 anos de idade) destaca que, nesses 13 anos dedicados ao esporte, suas principais conquistas com o tênis vão além dos prêmios e troféus. Para ela, a oportunidade de viajar mais, conhecer outras culturas e pessoas é um dos maiores ganhos.

Laura Cardone

Você não vai ser um atleta de sucesso sem investir em você e se aprimorar.

Muita cobrança, treinos longos e pesados, falta de investimento e patrocínio, além da baixa disponibilidade de locais adequados para o esporte, são alguns dos principais desafios de um atleta profissional no Brasil.

Entretanto, a disciplina e o entusiasmo em se autossuperar são os grandes motivadores de nossos desportistas, como é o caso da tenista Laura Cardone, moradora da Vila Mariana, cujo principal objetivo, hoje, é jogar em alto rendimento e melhorar seu desempenho físico, emocional e mental.

Assim como condicionamos o corpo, uma musculatura, por exemplo, podemos fazer o mesmo com nosso comportamento. No tênis, assim como na maioria dos esportes, a capacidade física é o mínimo que se espera de um atleta. Nos dias de hoje a atitude mental e a capacidade de gerir as emoções é o que realmente pode diferenciar. Nosso treinamento aborda esses 3 elementos: físico, emocional e mental, de maneira integrada, e conduz o praticante à sua mais alta performance

afirma o Professor Gustavo Oliveira, treinador de alta performance da Laura.

INFLUÊNCIAS

Ao longo desses 13 anos, Laura teve a oportunidade de conhecer grandes atletas do tênis que a influenciaram, dos quais destaca o brasileiro Guga, pelo exemplo de superação, por sua história de vida, e a também brasileira Maria Esther Bueno, que, aos 90 anos, ainda jogava, ainda que não mais profissionalmente.

Dentre os estrangeiros, uma grande influência é o suíço Roger Federer, por contemplar tanto qualidade técnica, quanto a habilidade em administrar o emocional. Para Laura, o fato de Roger praticamente não transpirar durante os jogos demonstra um possível treinamento que o habilite a gerenciar melhor os ritmos respiratórios (uma das técnicas fundamentais do Método DeROSE).

BREVE BIOGRAFIA

Laura começou a treinar aos 7 anos de idade, na Academia Play Tênis, em 2001, influenciada pelo pai, que praticava o esporte, desde os 17 anos. Entre 8 e 9 anos anos, foi levada, por seu primeiro instrutor, para participar da peneira do Programa de Treinamento Infantil da Federação Paulista de Tênis (FPT), coordenado, na época, pelo tenista Jaime Oncins, um dos ícones nacionais neste esporte.

Por três anos consecutivos, liderou o ranking Estadual da FPT, uma das maiores federações de tênis do mundo, conquistando o título de ‘Melhores do ano por categoria’, em 2009, 2010 e 2011.

Figurou no Top 10 do ranking nacional da CBT – Confederação Brasileira de Tênis, aos 14 anos e, na categoria seguinte, alcançou a posição de número quatro do ranking nacional, aos 16 anos.

Método DeRoseO tênis a levou a conhecer diversas cidades nas Américas e Europa, dentre os quais destacam-se Buenos Aires e Nova Iorque, onde esteve por mais tempo e pode evoluir muito rápido no esporte, ao participar de períodos intensivos de treinamento.

O que mais valorizo no esporte é a oportunidade de superação, a busca constante por melhorar a cada dia e a disciplina.

Em 2015, está se preparando para participar de torneios brasileiros e sul americanos sub-25, a partir de março e, também, de interclubes na Europa, durante o mês de julho.

A prática do Método DeROSE veio completar sua agenda, que contempla os treinos de quadra, condicionamento físico, jogos amistosos, exibições de tênis e participações em conferências e workshops a convite de clubes, academias, federações de tênis e ONGs que trabalham o tênis como inclusão social.

*Matéria e fotos realizadas na TEA OPEN