Novo Honda Fit 2015, mais confortável, moderno e seguro!

Começou este mês a ser comercializada a terceira geração do novo Honda Fit 2015 em quatro versões, todas com motor 1.5L, i-VTec e tecnologia FlexOne – que dispensa o “tanquinho” para partida a frio. As duas de entrada (DX e LX) oferecem a transmissão manual de cinco velocidades e a nova CVT (Continuously Variable Transmission) geração Earth Dreams, enquanto as top de linha (EX e EXL), apresentam exclusivamente a transmissão CVT.

O novo Fit, expõe uma evolução em seus principais atributos como o maior espaço interno, versatilidade no rebatimento e configurações dos assentos, economia no consumo de combustível, design totalmente renovado com inspiração esportiva e conjunto de suspensão otimizada. A principal novidade é a volta da transmissão CVT com conversor de torque, sem “trancos” e com retomadas mais ágeis e consistentes, em relação ao cambio automático.
No desenho, o modelo inaugura o conceito “Solid Wing Face” – base para novos modelos da Marca, que se destaca na parte frontal no conjunto óptico e pela grade frontal. O design passa uma impressão de dinamismo e esportividade, até mesmo agressividade.

Nas laterais, o conjunto estético apresenta um vinco angulado nas laterais que vai de ponta a ponta no comprimento do veículo. Novos retrovisores, e um novo para-choque, e aerofólio que aloja o break light, na traseira. O visual se completa com a adoção de novas rodas de liga leve de 15 polegadas na versão LX e de 16 polegadas na intermediária (EX) e top (EXL).

A largura é a mesma (1,69 metros), enquanto o comprimento e entre-eixos, respectivamente, saltaram para 3.99 metros e 2.53 metros. O monovolume aumento na área do habitáculo, quando comparado à segunda geração.
Novos bancos em uretano de baixa repulsão são mais densos, porém macios – e com a redução do comprimento do braço de suspensão traseiro, ganhou-se em espaço interno, a distância entre passageiros aumentou em oito centímetros, assim como o espaço traseiro para as pernas dos ocupantes, que agora ficou cerca de 12 centímetros maior. A distância de regulagem de assento acresceu 10 centímetros.

Os assentos com o sistema ULT (Utility Long Tall) ganharam uma nova forma de configuração, além das três já existentes na geração anterior e conta agora com o ULTRa-Seat, nas versões LX, EX e EXL , e recebeu o novo modo Refresh, onde o encosto dianteiro alinha-se ao assento traseiro, em um encaixe que aumenta a capacidade de acondicionamento do veículo.

O painel de instrumentos também foi redesenhado e apresenta uma interface avançada, possibilitando uma boa leitura de todas as informações que o motorista necessita com iluminação na cor âmbar, enquanto que na versão EXL, tem um design diferenciado e com predominância da cor azul.

O conjunto de instrumentos é composto por tacômetro, indicador da posição da manopla (CVT), velocímetro, relógio, hodômetros total e parcial, consumo médio e instantâneo (em km/l) e medidor de combustível. A versão EXL tem indicador ecológico e de consumo de combustível instantâneo.

Para as versões EX e EXL, o sistema de áudio 2DIN, é composto por Rádio AM/FM com um visor de LCD de 5” e Bluetooth, câmera de ré com três ângulos de visão (panorâmica, normal e superior), leitores de arquivos no formato MP3/WMA, entradas auxiliares P2 (tipo fone de ouvido) e porta USB. O sistema HFT (Hands-Free Telephone) posicionado junto ao volante, possibilita o atendimento de uma ligação por meio da conexão sem fio juntamente com a função de viva-voz. A versão LX dispõe de Rádio AM/FM 2DIN com Bluetooth e entrada USB, enquanto a DX disponibiliza todo o cabeamento para a instalação de sonorização.

Os “porta-trecos”, em maior número, incluem o porta-luvas, porta-copos, porta-objetos, porta-revistas e porta-bebidas. O porta-objetos localizado ao lado esquerdo do motorista traz uma maior conveniência ao contar com um flip retrátil, que comporta tanto um celular de forma ajustada até um copo grande.

Motor e Transmissão

Toda a linha é provida com o motor 1.5L i-VTEC FlexOne, equipado com o controle eletrônico variável de sincronização e abertura de válvulas, que alterna o tempo e a “profundidade” de abertura das válvulas para máxima eficiência em diferentes regimes de rotação. Assim, apresenta a melhor combinação de desempenho com o máximo de economia de combustível.

O propulsor gera 116 cv de potência a 6.000 rpm e torque de 15,3 kgf.m a 4.800 rpm quando o combustível escolhido for o etanol. Números que foram obtidos com adequações como o aumento da taxa de compressão, comando de válvulas redesenhado e atrito e peso reduzidos, com aumento do torque em baixas rotações e consequente conforto na dirigibilidade, aceleração e redução de consumo de combustível.

A melhora de eficiência é perceptível quando analisado o consumo de combustível (InMetro/Conpet), em relação à geração anterior: 17% nas versões CVT e 8% nas com transmissão manual.

O sistema de injeção de combustível multiponto programada PGM-FI (Programmed Fuel Injection) foi mantido, e em conjunto com o módulo de controle do motor ECM (Engine Control Module), monitoram diversas condições do veículo, atuando separadamente em cada injetor.

O conceito Honda FlexOne – adotado inicialmente nos modelos Civic 2014 com motorização 2.0, entra em ação depois do acionamento do controle que destrava as portas. Para isso, um conjunto de injetores com aquecedores integrados age diretamente no combustível quando há uma alta concentração de etanol, levando-o à temperatura ideal para deixar a mistura ar/combustível, resultando em uma partida rápida e segura mesmo em situação de baixa temperatura.

A transmissão CVT em sua nova geração Earth Dreams, apresenta como principal novidade o sistema com conversor de torque, ficando mais elástico, o que torna mais eficiente a tração mas diversas velocidades, proporcionando uma resposta mais rápida, além de aceleração linear e economia de combustível. Isso deixou disponível a força do motor, principalmente em subidas mais íngremes, com aceleração gradual e contínua o que torna a condução mais confortável e ágil.

Com o G-design Shift, a resposta ao acelerador é rápida e direta com aceleração linear na proporção das rotações. As versões com CVT também evoluíram em relação à redução de peso (16% em relação ao 5AT anterior) e à economia de combustível (elasticidade de rotação 12% maior que o 5AT anterior).

O conjunto de suspensão foi redimensionado para ocupar um espaço menor, mas com mais eficácia. O novo sistema diminui a variação de cambagem ao longo do curso dos amortecedores, o que dá mais estabilidade, principalmente em relação à aceleração lateral durante as curvas. Foram aplicados também novos amortecedores traseiros, com o objetivo de aumentar ainda mais o conforto. A frontal rígida conta com um rebound stopper, enquanto a traseira apresenta uma redução na sensibilidade da carroceria.

O sistema de direção eletricamente assistida com o EPS (Electric Power Steering) faz sua condução mais leve em manobras em baixas velocidades e firme em altas. O esforço ao esterçar é reduzido por meio do auxílio de um pequeno motor elétrico comandado por um módulo eletrônico, que atua sobre o pinhão na caixa de direção. As versões DX e LX oferecem o ajuste de altura da coluna da direção e nas versões EX e EXL, a coluna de direção também pode ser ajustada telescopicamente.

Os modelos vêm equipados com duplo airbags frontais, aviso de uso de cintos de segurança, airbags laterais frontais (EXL) e cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes, além de pontos de ancoragem para assentos infantis compatíveis com os tipos ISOFIX e LATCH para todas as versões.

O lançamento ainda conta com sistemas; antifurto, abertura e fechamento das portas com alarme, ar-condicionado, vidros verdes com filtro UV, travas e espelhos elétricos (LX, EX e EXL) e imobilizador na chave (em formato canivete nas versões EX e EXL), além de trava de segurança nas portas traseiras.

O novo Honda Fit 2015 tem três anos de garantia, sem limite de quilometragem nas cores: Azul Netuno Metálico (novo), Vermelho Rally Sólido, Preto Cristal Perolizado, Cinza Barium Metálico (novo), Cinza Iridium Metálico, Prata Global Metálico e Branco Taffeta Sólido.

O lançamento acontece logo após a comemoração da marca histórica alcançada em março pelo Fit no Brasil, com mais de 500 mil unidades produzidas desde o lançamento no país, em 2003. Globalmente, o monovolume é um dos veículos mais vendidos da história da Honda, quase 5,2 milhões de unidades comercializadas em todo o mundo desde a sua apresentação oficial, em junho de 2001, no Japão. Atualmente, o carro é vendido em mais de 120 países e fabricado em 11 unidades localizadas no Japão (2), China (2), Taiwan, Tailândia, Malásia, Indonésia, Reino Unido, México e Brasil.

Ficha técnica

Motor: Gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.497 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, comando simples no cabeçote e comando variável de válvulas na admissão. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.

Transmissão: Câmbio manual de cinco marchas ou CVT.
Potência máxima: 115 e 116 cv a 6 mil rpm com gasolina e etanol.
Torque máximo: 15,2 e 15,3 kgfm a 4.800 rpm com gasolina e etanol.
Diâmetro e curso: 73,0 mm X 89,4 mm.
Taxa de compressão: 11,4:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson. Traseira por eixo de torção.
Freios: Discos ventilados na frente e tambor atrás. Oferece ABS com EBD.
Pneus: 185/55 R16 (EXL), 185/60 R15 (EX e LX).
Carroceria: Hatch monobloco, quatro portas e cinco lugares. Com 3,99 metros de comprimento, 1,69 metro de largura, 1,53 metro de altura e 2,53 metros de entre eixos.
Peso:
DX MT: 1.052 kg.
DX AT: 1.072 kg.
LX MT: 1.060 kg.
LX AT: 1.080 kg.
EX AT: 1.099 kg.
EXL AT: 1.101 kg.
Capacidade do porta-malas: 363 litros.
Tanque de combustível: 45,7 litros.

Itens de série:

DX: cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes, Isofix, airbags frontais, Vidros elétricos, maçanetas externas na cor do veículo, pré-disposição para rádio e ar-condicionado.
Preço: R$ 49.900 (R$ 54.500 com CVT).

LX: com sistema de áudio 2DIN com rádio AM/FM/USB/Bluetooth, banco do motorista com regulagem de altura, bancos traseiros reclináveis, bipartidos 60/40, retrovisores elétricos e quatro alto-falantes.
Preço: R$ 54.200 (R$ 58.800 com CVT).

EX: faróis de neblina, câmara de ré com três ângulos de visualização, volante multifuncional, sistema de áudio 2DIN com rádio FM/AM/MP3/CD com tela de LCD de cinco polegadas e Bluetooth, chave tipo canivete e entrada USB.
Preço: R$ 62.900.

EXL: painel com computador de bordo digital multifunções com fundo azul, bancos em couro e airbags laterais e volante com acabamento em couro com detalhes das portas e maçanetas na cor prata.
Preço: R$ 65.900.

Os preços são referentes às versões com cores sólidas. As metálicas e perolizadas são acrescidas de quase mil reais no preço público sugerido.

Mais informações na Rede de Concessionárias Autorizadas, pelo site www.honda.com.br ou pelo telefone 0800 701 3432.

“Nota “A” em economia de combustível do Inmetro/Concept,
no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular,
e de acordo com testes preliminares, passar de quatro
para cinco estrelas nos testes de impacto da Latin NCAP.”

“Quarto modelo mais vendido da Marca japonesa no mundo
com mais de cinco milhões de unidades comercializadas”

“Líder absoluto de vendas do
segmento no Brasil, mais
que o dobro em relação
ao Fiat Idea, segundo
entre os monovolumes.”

“Linhas esportivas, motor 1.5 litro
FlexOne mais esperto,
câmbio de cinco marchas ou
a inédita transmissão CVT.”

“Aumento do espaço interno
e ergonomia melhorada.”

“Estratégia de lançamento contempla o valor da versão DX, igual
ao da segunda geração no mercado, mas a Honda projeta
48% das vendas na versão LX como melhor custo-beneficio ”