Dinheiro no bolso… saúde para dar e vender

Entrevista com Gustavo Cerbasi
Entrevista com Gustavo Cerbasi

Você vive se apertando para pagar as contas. Recebe elas de surpresa e só lembra de onde vieram depois de muito correr atrás, puxar o fio da memória. Que tal mudar este cenário e se preparar para enriquecer? Isto e possível e só depende de você. Conversamos com Gustavo Cerbasi, escritor de “Best Sellers” e o maior especialista em finanças pessoais do país. O bate-papo rendeu muitas horas e uma lição de vida. Afinal, Gustavo além de ser um especialista em finanças também é super humano e entende muito bem os problemas e necessidades das pessoas.

Confira as 10 perguntas que selecionamos para publicar na revista e acompanhe uma série de vídeos que estarão sendo publicados no www.villamarianatv.com.br.

Garantimos que com tanta informação e as dicas valiosíssimas do Gustavo. que é apaixonado pela Vila Mariana, você vai virar o jogo da sua vida e começar a pensar até em juntar o seu primeiro milhão.

Para começar o bate-papo com um toque bem bairrista, qual sua ligação com a Vila Mariana?

Morei ate 2008 na Vila Mariana, sou apaixonado pelo bairro. Tanto, que estou construindo para voltar a morar na região. Só que desta vez. aqui do lado, na Aclimação.

Como começou a sua carreira de consultor financeiro?

A escolha de carreira não foi exatamente minha. Comecei a convite de um amigo, que me contratou pela amizade e pela minha habilidade em escrever. Assim que terminei a faculdade ele precisou de alguém que o ajudasse a fazer laudos financeiros de avaliação de empresas. Fui ajudá-lo, Depois tive que me enquadrar em uma escolha feita por outra pessoa. Eu não gostava do assunto, não gostava da área, mas comecei a me dar bem. meus laudos passaram a ser bem avaliados. Com o tempo fui convidado a fazer um mestrado para poder me enquadrar na minha atividade e dar aula sobre o tema.

E qual foi a origem do trabalho com finanças pessoais?

Por ser um especialista que não gostava do assunto, eu sempre tive como grande preocupação pessoal tentar agradar os alunos e me colocava no lugar deles. Por isto, sempre usei exemplos de finanças pessoais. Se eu dava uma aula em MBA de marketing ou RH, por exemplo. eu sabia que aquelas pessoas não queriam aprender finanças e eu era obrigado a ensinar, pois fazia parte do currículo escolar. Então fui criando assuntos de finanças pessoais dentro da sala de aula para os alunos aprenderem a gostar do tema. Dali para começar a dar aula de finanças pessoais e escrever um livro foi um pulo muito pequeno. Fui convidado a escrever, hoje tenho mais de um milhão de livros vendidos. o primeiro nasceu de “livre e espontânea pressão” de outro amigo meu. o dono da Editora Gente.

Se eu dava uma aula em um MBA de marketing ou RH, por exemplo, eu sabia que aquelas pessoas não queriam aprender finanças e eu era obrigado a ensinar, pois fazia parte do currículo escolar. Então fui criando assuntos de finanças pessoais dentro da saia de aula para os alunos aprenderem a gostar do tema.

E como isto aconteceu?

Ele me convidou porque viu no meu conhecimento uni diferencial, E ai nasceu “Dinheiro. Segredos de quem tem”. o primeiro livro. e “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”. o mais famoso. que veio na seqüência. Ao todo são nove títulos publicados.

Os seus livros, mesmo tratando de finanças, são bem humanos. Seria este o segredo do sucesso de vendas?

Eu queria escrever um livro que pudesse ser aplicado nas minhas aulas de finanças pessoais. Então tinha que ser um manual de planejamento pessoal, que ensinasse o passo a passo para organizar a vida financeira e atingir a riqueza. Mas, ao mesmo tempo, ele não poderia se distanciar da técnica. da ciência, tinha que ter matemática financeira. estatística e por al vai. Então. pela dificuldade que os brasileiros têm de entender o assunto “finanças” e lidar com números. procurei maquiar o assunto com ferramentas literárias. Ao invés de colocar muitas contas, colocava tabelas. mais fáceis de serem lidas, Ao invés de teorizar muito o assunto eu procurei contar histórias de “cases” que eu havia atendido ou dúvidas que chegavam por e-mail. O primeiro livro foi o que levou mais tempo para ser produzido, foram seis meses de trabalho e eu sempre foquei em fazer um livro com uma leitura agradável. que as pessoas tivessem vontade de ler sem parar, sem se cansar. Tinha que ser um livro extremamente atraente.

E qual o lado mais difícil: explicar finanças ou escrever finanças com uma linguagem totalmente inédita?

O maior trabalho não foi a teoria financeira e sim o lado literário. ou seja. como desenvolver capítulos curtos suficientes para não cansar o leitor. como criar em cada capítulo um gancho que motiva o leitor a ir para o próximo. Isto eu faço em todos os livros. criar uma leitura agradável para a pessoa não parar de ler. Tanto porque. se ela parar no primeiro capitulo não vai aprender a enriquecer.

O “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos” esta linguagem ficou bem clara, não é?

Sim. O livro vendeu mais de 800 mil exemplares não por ser um bom livro de finanças, mas por ser um livro de finanças disfarçado em uma capa, um título de relacionamento, Quem compra está afim de preservar ou construir um bom relacionamento.

E o relacionamento é mesmo importante no processo de enriquecimento?

Claro. Ele tem que estar em foco por atrás de qualquer processo de enriquecimento. Quem pensa em enriquecer construindo apenas o primeiro milhão e esquece as demais riquezas que tem na vida pode até ter muito dinheiro na vida, mas não vai ter uma vida rica.

Enriquecer não é apenas fazer um bom controle financeiro ou cortar gastos e poupar. É poupar para conquistar algo bom, É cortar gastos sem limitar aquilo que traz prazer no dia-a-dia. Quando fomento a união de contas, a união de planejamento de um casal, para que ambos tomem decisões à dois. não importa se eles têm contas conjuntas ou não. O que vale é se a união de pensamento, a união de vontades e desejos são firmes.

O seu novo livro, “Mais tempo. mais Dinheiro”, aborda a gestão financeira e a do tempo. As duas devem trabalhar juntas?

Este livro é outro sucesso e nasceu em parceria com o Christian Barbosa, o maior especialista do Brasil em gestão de tempo. É interessante notar que até eu conhecer o Christian, em 2005, eu era aquele profissional típico, de sucesso, um professor que dava aulas o dia inteiro, tendo um livro que é um “Best Sellers” e dando palestras nos momentos livres. Em resumo, eu era uma pessoa totalmente sem tempo. Deixei de praticar o meu esporte. tinha pouco tempo livre nos finais de semana A família ia me encontrar nos locais onde eu participava dos eventos e por ai vai, Quando ouvi uma palestra do Christian onde ele explicava as técnicas de gestão de tempo e percebi que elas eram muito parecidas com as de gestão dinheiro fiquei encantada com aquilo tudo, A partir daí comecei a aplicar a gestão de tempo na minha vida, Mudei pequenos detalhes e criei algumas regras que fizeram a diferença. Elas foram estudadas junto com o Christian e aplicadas no livro.
E qual o sintoma que mostra que uma pessoa está precisando usar estas regras? Normalmente, quando nós não estamos muito felizes com a nossa vida. não só nos aspectos tempo e dinheiro. mas também com a saúde, com o corpo ou relacionamentos, nós estamos em uma situação acomodada, Se você sair desta situação de acomodação e usar algumas técnicas já testadas, provavelmente você estará em uma situação muito melhor em uni tempo curto. não vai demorar para você ter mais dinheiro e mais tempo.

Vamos falar um pouco sobre juros. Eles existem mesmo quando um parcelamento é divulgado como sem juros?

Quando você pede um empréstimo pessoal ou usa o cheque especial ainda existem juros de mais de 1001% ao ano, O juros que. geralmente. está muito “maquiado” é o de crédito direto ao consumidor. o praticado nos financiamentos de bens que você compra nas lojas. Quando nos deparamos com lojas divulgando juros de 1;: ao mês, 2 ou 0199%, geralmente este juros não é real. Tenha muito cuidado, ele normalmente é muito maior que o divulgado. Quando o lojista oferece algo do tipo: “é R$ 1000.00 à vista ou 10 x de R$ 100,00. ou seja, 10 vezes sem juros. muito cuidado com esta informação, pois e praticamente impossível um lojista conseguir esperar o pagamento de todas as prestações sem ter um custo por trás disto, Ele deve estar recorrendo a juros do banco para poder disponibilizar esta operação, Então. quase sempre. existe juros de 3 a 4% neste tipo de parcelamento. Quando ele fala que não tem desconto à vista e porque a loja está muito interessada em ganhar o juros que o banco passa para ela. Se você se deparar com esta situação. pesquise em outras lojas porque. com certeza, vão ter outros lojistas querendo vender a vista com bom desconto.

E o final de ano? As contas para pagar, as compras de Natal. as viagens. Qual o seu conselho para os leitores da Revista Villa Marianna se organizarem para esta época?

Nesta época as pessoas estão ansiosas para receberem o décimo terceiro, alguns já receberam parte dele e vem aquela expectativa por férias. comemorações, presentear. o coração fica mais caridoso e as pessoas veem este momento corno um momento de alivio. Eu tomaria cuidado com este sentimento. O período é muito perigoso pelas consequências dele para o próximo ano. As pessoas têm que perceber que o décimo terceiro tem uma função muito clara na nossa vida. Ele é parte do nosso salário no final do ano porque as leis trabalhistas reconhecem que o brasileiro tem gastos concentrados no final e no começo do próximo ano. Este décimo terceiro é para custear celebrações de final de ano e. principalmente, IPVA e IPTU que as pessoas têm no final de janeiro e a matricula escolar dos filhos. Se você gastar o décimo terceiro todo e parcelar estas obrigações vai acabar comprimindo o seu orçamento durante o ano todo. Minha sugestão para você que está recebendo ou vai receber o décimo terceiro.

As pessoas têm que perceber que o décimo terceiro tem uma função muito clara na nossa vida.

Primeiro uso dele: “corrigir erros que você acumulou até agora” – se você está devendo no cheque especial está no rotativo do cartão ou tem uma divida pendente com um amigo, quite estas dividas. Elimine o seu problema e comece 2010 com urna situação mais leve. Sobrou algum dinheiro do décimo terceiro? Regra básica: destine ao pagamento à vista do seu IPVA e do seu IPTU caso seja possível, Se ainda depois disto sobrar dinheiro. AI você pode ser mais generoso e comprar presentes. doar. adotar cartinhas de Papai Noel nos Correios, por exemplo. e usar seu décimo terceiro como bem entender, A partir do momento que você elimina do seu orçamento os grandes gastos do começo do ano você vai ter um orçamento mais leve para 2010. Vai poder gastar mais o seu dinheiro com coisas mais interessantes do que o juros do vermelho. E ai, pode ser que termine 2010 não tendo que pagar dividas e podendo usar mais do seu décimo terceiro, Apertar o cinto agora pode ser uma solução interessante para quebrar um ciclo que eu acho que se repete há muitos anos na sua vida. É questão de mudar.

E enriquecer?

Enriquecer é uma questão de escolha. Se você quer enriquecer, mova•sel Faça planos. Coloque as contas na ponta do lápis que você consegue, Eu tenho certeza que uma vida mais rica é uma vida mais segura, de mais paz.

Texto Fabiano Godoy / Fotos Felipe Carneiro