Quem pensa diferente percebe os Novos Modelos de Negócios

QUEM PENSA DIFERENTE PERCEBE OS NOVOS MODELOS DE NEGÓCIOS
QUEM PENSA DIFERENTE PERCEBE OS NOVOS MODELOS DE NEGÓCIOS

Já comentei em algumas conversas e até mesmo em algumas das minhas palestras uma observação curiosa que nem todo mundo se deu conta: uma das maiores empresas de transporte do mundo, que já dominou centenas de cidades, não possui um único carro sequer. Outra grande empresa de hospedagem revolucionou o mercado com uma nova proposta, e ela também não tem nenhum hotel. Estamos falando do Uber e do Airbnb. Esses são apenas dois modelos de negócio que viraram os mercados onde atuam de ponta a cabeça, entrelaçando as facilidades da tecnologia e seus aplicativos com um movimento contemporâneo de economia colaborativa.

Muitas vezes uma solução para um problema da sociedade ou a facilitação de algo que já existe está muito evidente e ninguém ainda percebeu. Essa tendência propulsionada pela rápida evolução dos recursos tecnológicos abre um mar de possibilidades, estando apenas limitada pela criatividade de cada um. Ouvi dizer, por exemplo, a história de uma mulher que adorava ir à praia e às vezes sentia vontade de tomar um sorvete ou comer um espetinho e precisava ficar esperando que algum ambulante passasse. Então ela foi lá e criou o aplicativo Na Praia, onde o banhista pode chamar o vendedor com muita facilidade.

Também brinco nas minhas palestras dizendo que hoje em dia a farmácia vende até remédio. Isso, é claro, elucidando o fato de que a proposta deste tipo de negócio foi além do óbvio, isto é, deixou de vender apenas medicamentos para vender cosméticos, produtos de higiene, doces e balas, e tantas outras coisas.

Por outro lado, a tendência do Colaborativismo, permitindo o compartilhamento de coisas e serviços, vem de encontro a uma supervalorização ao consumismo desenfreado, que acaba por gerar um verdadeiro esgotamento de recursos naturais aliada a uma superprodução de lixo. O Lowsumerism implica numa filosofia de vida – e de consumo, é claro – muito mais compatível com um mundo que está repensando suas necessidades e modelos de compra e venda.

Nesse momento desafiador da economia brasileira, ter um olhar diferenciado para possibilidades de novos modelos de negócios é fundamental para garantir sobrevivência e preferência. Já citei em um artigo exatamente sobre isso: desfrutar da adversidade. E vamos combinar que o brasileiro tem maestria nessa arte de reinventar negócios. A criatividade faz parte da alma do brasileiro e inspira até mesmo quem é de fora. Por isso, a dica é: estude e aprofunde conhecimentos, e liberte a sua criatividade.

Wilson Medeiros

Wilson Medeiros

Wilson Medeiros tem formação em administração de empresas, com cursos de especialização em negócios para executivos pela FGV SP, certificações de aperfeiçoamento de Personal and Executive Coach pelo ICI – Integrated Coaching Institute e CCU Corporate Coach U International. Pesquisador sobre o tema “Diferencial” e atua como palestrante nos campos de vendas, gestão, liderança e negócios.

Tags