Pressão da sociedade pode ser gatilho para suicídio

por Guilherme Pinheiro

“Minha família era muito conservadora. Quando meu corpo começou a mudar e ficar mais masculino eu passei a sentir uma dor tremenda e não via saída para mim”. Hoje com 37 anos, Giulia Furlan passou por uma série de tentativas de suicídio na adolescência. O motivo: medo da reação da família ao saber que ela se descobriu transexual.

Assim como ela, vários jovens se sentem isolados da sociedade e veem o suicídio como última solução.

Eliane Soares, 44, voluntária do Centro de Valorização à Vida, cita esse como um dos principais fatores relacionados do aumento do número de casos. “A maioria é por conta de alguma forma de sensação de solidão, não pertencimento, bullying e a necessidade de seguir padrões de beleza inatingíveis”.

Para se ter noção do tamanho do problema, a taxa de suicídios entre pessoas de 15 a 29 anos aumentou quase 10% entre 2002 e 2014. O contato com o CVV e o CAPS (Centros de Atenção Psicossocial da rede pública de saúde) é uma das formas de diminuir a recorrência de casos.