Como Proteger seu Animal de Fogos de Artifício

Quem tem um animal de estimação em casa, em especial, cães e gatos, já percebeu o tormento que passam quando há celebração com Fogos de artifício. Nas festas do final de ano, essa atividade intensifica, deixando céu com cores, luzes, e estrondos, esses artefatos podem divertir as pessoas, mas raramente têm o mesmo efeito sobre animais.

Esse sofrimento está ligado a diferença na capacidade auditiva, nós somos capazes de captar frequências auditivas entre 16 e 20 mil Hz, a capacidade auditiva nos cães é de 40 e 60 mil Hz, já os gatos a frequência vai de 60 a 65 Hz. O que para nós é um ruído para um cachorro ou gato pode ser percebido como um estrondo. A resposta a este estimulo sensorial tende a ser de medo e estresse, traduzidos em alteração no comportamento como tentar se esconder, seguir os donos pela casa em busca de proteção.

Nesse momento é necessário protegê-los, para tal, seria prudente evitar a presença de animais em locais aonde ocorrera a queima dos fogos de artifício. Deixe-o em casa, com as cortinas e janelas fechadas, colocar um algodão nos ouvidos ajuda a minimizar o barulho. Pode-se criar um som ambiente, como fundo, uma musica (não muito alta), o ventilador ligado, isso ajuda a minimizar os estrondos. Se ficar em casa, pode tentar distraí-lo com petiscos ou brincadeiras.

Para os gatos, é interessante mantê-los em um quarto com as janelas fechadas, seria apropriado utilizar cobertores para abafar o som oriundos das janelas e portas, as vasilhas e caixas de areia devem estar encostadas na parede na tentativa de evitar que sejam tombadas e retirar objetos que possam quebrar ou machucar os animais.

É muito importante para os gatos terem abrigos neste ambiente, podem ser tocas ou mesmo deixar o armário aberto.
As medidas citadas acima são simples e de fácil execução, minimizando o estresse nesse período. É importante lembrar que em situações de stress alguns perigos são eminentes; a fuga é muito comum nesses momentos, minimizar pontos críticos locais é uma ótima dica para neutralizar uma fuga, lembrar de fechar as portas, verificar a coleira, principalmente se estiver em um local aberto (como praia, praça ou parque) ou mesmo deixa-lo na coleira dentro de casa se necessário. Nesses casos, um animal em fuga pode percorrer quilômetros e consequentemente dificultar encontrá-lo.

Animais com quadros convulsivos, cardiopatas ou idosos merecem uma atenção maior. Nestes casos, seria interessante conversar com um Médico Veterinário de sua confiança. Os calmantes naturais são uma ótima opção para estas ocasiões, segue uma sugestão de formulação, com a combinação das essências:

rescue + mimulus + aspen + rock rose + cherry plum

Mande fazer em qualquer farmácia de manipulação ou homeopática sem álcool nem glicerina e manter em geladeira.

Doses:
• Para cães de pequeno e médio porte e gatos: 4 gotas

Gustavo Coelho Rodrigues

Gustavo Coelho Rodrigues

Gustavo Coelho Rodrigues
(CRMV-SP 12408)
é Médico Veterinário,
e junto dele seu amigo Fumaça, um Whippet.

Tags